O Nutricionista Clandestino

O que a ciência diz sobre o porquê engordamos.

Este não é um livro de dieta, nem um manual para a perda de peso. O objetivo deste livro é, sem falsa pretensão, proteger o leitor de equívocos graves que muitos nutricionistas profissionais repetem em revistas e programas de TV. É uma apresentação didática de estudos científicos sérios ao público em geral e o que a conclusão deles nos leva a repensar sobre emagrecimento e controle de peso. Ao terminar de ler a obra o leitor poderá questionar, com conhecimento de causa, seus hábitos alimentares e sua alimentação de modo a favorecer o controle ou perda de peso.

Sobre o livro
Compre o livro digital por R$ 39

Sobre o livro

Este livro surgiu de uma necessidade do mercado brasileiro de ter acesso às análises e estudos mais sérios e respeitados que fazem um questionamento atual da nutrição na perda de peso.

O autor, Danilo Balu, apresenta orientações que serão entendidas como altamente polêmicas, mas que se tornam evidentes quando se resolve ler e compreender os estudos nos quais elas se baseiam.

Nenhum dos assuntos abordados - perda de peso, o mito da gordura como vilã, carboidratos, etc - e suas orientações vêm da opinião ou "achismo" do autor. O autor não é um grande cientista querendo reinventar a maneira como a nutrição e o sobrepeso são entendidos. Ele é apenas um portador, em língua portuguesa, da mensagem de grandes pesquisadores que de fato vêm reinventando a maneira como nutrição e o sobrepeso vêm sendo compreendidos.

A ciência da nutrição evoluiu tanto nas últimas duas décadas que seria tolice ignorar.

Opiniões sobre o livro

Sérgio Rocha

Jornalista

Em O Nutricionista Clandestino, Danilo Balu derruba tantos mitos relacionados à nutrição que, de certa forma, nos sentimos desplugados da "matrix nutricional" a qual fomos submetidos anos a fio.

Dr. Alexandre Lopes

Fisioterapeuta

O livro apresenta de forma muita clara e simples o que existe de evidência científica em diversos temas "polêmicos" da nutrição. O autor descomplicou a linguagem quase que intransponível dos artigos científicos de maneira brilhante.

Tatiana Aniteli

Nutricionista

O livro é um bom resumo de fatos e questões relacionadas à obesidade e nutrição que abrirá caminho para uma maior compreensão e curiosidade. Se você é um leigo ou profissional de saúde, a leitura é necessária.

Fabio Mollica

Triatleta amador

Nutrição é importante, só que questionar crenças populares é extremamente complexo. Com muitas das informações também apresentadas nesse livro pude me preocupar com o que realmente interessa para tomar decisões mais simples e eficientes.

Samaroni Maia

Procurador de Justiça

Bem escrito, marcado pela honestidade de não tentar dar uma fórmula pronta, o livro de forma didática e com linguagem simples, mas sempre embasado referenciando estudos sérios, questiona pertinentemente o padrão nutricional oficial, sem deixar de afirmar que estamos errados.

Receba uma prévia do livro

Receba grátis 3 capítulos do livro em seu email.

Capítulo 3 : Causa e consequência na luta contra a obesidade
Capítulo 4 : Um conto de fadas: o balanço calórico
Capítulo 5 : As calorias definitivamente não são iguais

Receber os 3 capítulos

Danilo Balu

Bacharel em Esporte, Corredor, Estudioso, Escritor.

"Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar."
Carl Sagan.

DANILO BALU nasceu em 1977 em São Paulo. Bacharel em Esporte pela Universidade de São Paulo em 2001 e cursou Nutrição na mesma instituição. Durante sua carreira profissional dedicou-se ao estudo do assunto sendo colaborador e consultor de nutrição esportiva para diversos veículos (revistas e sites) de corrida.

Ver a Bibliografia Comentada

Índice Completo

Você pode ver todo o conteúdo coberto no livro através do índice de capítulos.

    PARTE 1 - O CARBOIDRATO: UMA SOLUÇÃO EQUIVOCADA EM UM MUNDO QUE ERROU TRATAR A GORDURA ANIMAL E AS CALORIAS COMO VILÕES
  • Capítulo 1: É preciso nos movimentar mais? A atividade física é a melhor saída?
  • Capítulo 2: Quantas calorias há em um quilo? A falácia das 7.500cal
  • Capítulo 3: Causa e consequência na luta contra a obesidade
  • Capítulo 4: Um conto de fadas: o balanço calórico
  • Capítulo 5: As calorias definitivamente não são iguais
  • Capítulo 6: Nosso peso é uma questão hormonal, não termodinâmico
  • Capítulo 7: O exercício como ferramenta (ineficaz) de perda de peso
  • Capítulo 8: A desordem hormonal como o problema do sobrepeso
  • Capítulo 9: O metabolismo do carboidrato
  • Capítulo 10: A frutose e a obesidade
  • Capítulo 11: O risco de uma realidade com uma insulina (constantemente) elevada
  • Capítulo 12: Os riscos do açúcar
  • Capítulo 13: O açúcar como vício
  • Capítulo 14: Há relação de diabetes e açúcar?
  • Capítulo 15: Obesidade e a mudança dos tempos
  • Capítulo 16: A cetose como via e sua segurança
  • Capítulo 17: A (não) essencialidade do carboidrato
  • Capítulo 18: A adição de açúcar nos alimentos
  • Capítulo 19: A pirâmide alimentar é uma invenção puramente política

    • PARTE 2 - SOBRE A SEGURANÇA DE UMA GORDURA TRANSFORMADA EM VILÃ
  • Capítulo 20: Quando a gordura saturada passou para o lado negro da força?
  • Capítulo 21: O cenário para a restrição de gordura
  • Capítulo 22: As consequências inesperadas da substituição
  • Capítulo 23: Ancel Keys: o nome do homem por trás da ideia
  • Capítulo 24: O risco dos óleos vegetais à nossa saúde
  • Capítulo 25: Os marcadores do risco cardíaco
  • Capítulo 26: O falso temor pelo colesterol
  • Capítulo 27: O que dizem as pesquisas sobre a segurança da gordura saturada
  • Capítulo 28: O efeito da restrição da gordura sobre a obesidade global
  • Capítulo 29: As vozes em contrário não eram novas
  • Capítulo 30: O problema seria o carboidrato, não a gordura, calorias ou o colesterol
  • Capítulo 31: A segurança da gordura saturada e o risco da dieta low-fat
  • Capítulo 32: O paradoxo das recomendações

    • PARTE 3 - A PROTEÍNA E A SEGURANÇA DE SE RESTRINGIR O CARBOIDRATO
  • Capítulo 33: O exemplo sueco
  • Capítulo 34: O temor apressado por riscos inexistentes
  • Capítulo 35: Pesquisas mostram eficiência na restrição
  • Capítulo 36: Pode não servir para todos, mas vale a tentativa
  • Capítulo 37: Mais fácil, eficiente e segura

  • Bibliografia comentada do livro

    Para escrever este livro o autor usou como base livros, estudos, artigos e outras fontes de pessoas mais inteligentes, respeitadas e gabaritadas que ele, como: Gary Taubes, Peter Attia, Nina Teicholz, Jeff Voek, Bill Lagakos, Dariush Mozaffarian, Robert Lustig, James DiNicolantonio e Zoe Harcomb.

    Aqui segue uma versão comentada pelo autor de toda a bibliografia usada. Os comentários estão apenas nas fontes mais essenciais, feitos de modo que um leitor leigo no assunto possa entender do que se trata e não se afogar em referências.

    Você também pode baixar aqui a Bibliografia Completa assim como consta no livro. Boa parte dessas fontes são de acesso público ou podem ser facilmente encontradas para consulta.

    Fonte de dados oficiais do governo Americano com estatísticas sobre obesidade, consumo e incidência de doenças.

    OGDEN, C. L. et al. Prevalence of overweight, obesity, and extreme obesity among adults: United States, trends 1960–1962 through 2007–2008. Centers for Disease Control and Prevention – CDC. Disponível em: <http://www.cdc.gov/nchs/data/hestat/obesity_adult_07_08/obesity_adult_07_08.htm>. Acesso em: 26 jan. 2015.

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    SHAI, I. et al. Weight loss with a low-carbohydrate, Mediterranean, or low-fat diet. The New England journal of medicine, 2008.

     

    Outro estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    FREDERICK, F. et al. A low-carbohydrate as compared with a low-fat diet in severe obesity. The New England journal of medicine, 2003.

     

    Importante revisão questionando atividade física como ferramenta de controle de sobrepeso.

    OGELHOLM, M. et al. Does physical activity prevent weight gain: a systematic review. Obes Rev., 2000.

     

    Importante revisão sueca sobre tratamento e prevenção da obesidade.

    Dietary treatment of obesity: a systematic review. Swedish Council on Health Technology Assessment.  Disponível em: <http://www.sbu.se/en/Published/Yellow/Dietary-treatment-of-obesity/>. Acesso em: 26 jan. 2015.

     

    Uma das mais proeminentes profissionais da área da Nutrição que vem questionando as diretrizes ortodoxas.

    HARCOMBE, Z. The calorie theory – prove it or lose it. Zoë Harcombe. Disponível em: <http://www.zoeharcombe.com/2014/06/the-calorie-theory-prove-it-or-lose-it/>. Acesso em: 26 jan. 2015.

     

    Obra de um dos mais renomados estatísticos da atualidade que em passagem questiona a ideia do balanço calórico.

    SILVER, N. O sinal e o ruído:  por que tantas previsões falham e outras não. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

     

    Um clássico da literatura no tema que foi esquecido e novamente trazido a público pela obra de Gary Taubes.

    BANTING, W. Letter On Corpulence, Addressed to the Public. 3. ed. London: Harrison, 59, PallMall, 1864.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    HORTON, T. J. et al. Fat and carbohydrate overfeeding in humans: different effects on energy storage. Am J Clin Nutr., 1995.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    McDEVITT, R. M. et al. Macronutrient disposal during controlled overfeeding with glucose, fructose, sucrose, or fat in lean and obese women. Am J Clin Nutr., 2000.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    DIAZ, E. O. et al. Metabolic response to experimental overfeeding in lean and overweight healthy volunteers. Am J Clin Nutr., 1992.

     

    Estudo questionando um dos alicerces da ideia do ganho de peso, o balanço calórico.

    MANNINEN, A. H. Is a calorie really a calorie? Metabolic advantage of low-carbohydrate diets. J Int Soc Sports Nutr., 2004.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de peso e risco cardíaco.

    BREHM, B. J. et al. A randomized trial comparing a very low carbohydrate diet and a calorie-restricted low fat diet on body weight and cardiovascular risk factors in healthy women. J Clin Endocrinol Metab., 2003.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de peso e risco cardíaco.

    YANCY, W. S. Jr. et al. A low-carbohydrate, ketogenic diet versus a low-fat diet to treat obesity and hyperlipidemia: a randomized, controlled trial. Ann Intern Med., 2004.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de marcadores de diabetes de destaque.

    WESTMAN, E. C. et al. The effect of a low-carbohydrate, ketogenic diet versus a low-glycemic index diet on glycemic control in type 2 diabetes mellitus. Nutr Metab (Lond), 2008.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de peso.

    KEKWICK, A. et al. Calorie intake in relation to body-weight changes in the obese. The Lancet, 1956.

     

    Um dos pesquisadores mais críticos das teorias atuais sobre diabetes e sobrepeso questiona um dos pilares da nutrição: seria o sobrepeso causa ou consequência de excesso de ingestão?

    LUDWIG, D. S. et al. Increasing adiposity: consequence or cause of overeating? JAMA, 2014.

     

    Outro importante estudo que questiona a ideia de “se movimentar mais” como ferramenta de controle ou ainda causa da obesidade quando de sua carência.

    METCALF, B. S. et al. Fatness leads to inactivity, but inactivity does not lead to fatness: a longitudinal study in children (EarlyBird 45). Arch Dis Child, 2011.

     

    Estudo que traça paralelo com obesidade mundial e aumento do consumo de frutose.

    TAPPY, L. et al. Metabolic effects of fructose and the worldwide increase in obesity. Physiol Ver., 2010.

     

    Estudo revendo as diretrizes atuais do consume de carboidrato em indivíduos diabéticos do tipo 2.

    DALY, M. E. et al. Short-term effects of severe dietary carbohydrate-restriction advice in Type 2 diabetes—a randomized controlled trial. Diabetic Medicine, 2006.

     

    Estudo revendo as diretrizes atuais do consume de carboidrato em indivíduos diabéticos do tipo 2.

    DAVIS, N. J. et al. Comparative Study of the Effects of a 1-year dietary intervention of a low-carbohydrate diet versus a low-fat diet on weight and glycemic control in type 2 diabetes. Diabetes Care, 2009.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de peso.

    FOSTER, G. D. et al. Weight and metabolic outcomes after 2 years on a low-carbohydrate versus low-fat diet: a randomized trial. Ann Intern Med., 2010.

     

    Estudo revendo as diretrizes atuais do consume de carboidrato em indivíduos diabéticos do tipo 2.

    NIELSEN, J. V. et al. Low-carbohydrate diet in type 2 diabetes: stable improvement of bodyweight and glycemic control during 44 months follow-up. Nutr Metab (Lond), 2008.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas no controle de peso.

    19 YANCY W. S. Jr. et al. A randomized trial of a low-carbohydrate diet vs orlistat plus a low-fat diet for weight loss. Arch Intern Med., 2010.

     

    Estudo revendo as diretrizes atuais do consume de carboidrato em indivíduos diabéticos do tipo 2.

    BODEN, G. et al. Effect of a low-carbohydrate diet on appetite, blood glucose levels, and insulin resistance in obese patients with type 2 diabetes. Ann Intern Med., 2005.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    SHAI, I. et al. Weight loss with a low-carbohydrate, Mediterranean, or low-fat diet. N Engl J Med., 2008.

     

    Estudo que tenta mostrar a relação da diabetes com o açúcar, não gordura.

    BASU, S. et al. The relationship of sugar to population-level diabetes prevalence: an econometric analysis of repeated cross-sectional data. PLoS ONE, 2013.

     

    Alguns dos conceitos do médico brasileiro mais renomado no assunto dieta de baixo carboidrato.

    SOUTO, J. C. Dieta low-carb e paleolítica, dez. 2011. Evolução e seleção natural - implicações dietéticas. Disponível em: <http://www.lowcarb-paleo.com.br/2011/12/evolucao-e-selecao-natural-implicacoes.html>. Acesso em: 29 jan. 2015.

     

    Importante livro para quem busca entender as razões pelas quais hoje tememos provavelmente e equivocadamente o consumo de gordura saturada e colesterol

    TEICHOLZ, N. The big fat surprise: why butter, meat and cheese belong in a healthy diet. New York: Simon & Schuster paperbacks, 2014.

    Em um dos mais importantes livros da década passada, Gary Taubes faz uma revisão dos estudos e teorias que fez a Nutrição escolher a gordura alimentar como vilã no sobrepeso.

    TAUBES, G. Good calories, bad calories: fats, carbs, and the controversial science of diet and health. New York: Anchor Books, 2007.

     

    Renomado pesquisador questiona as diretrizes atuais.

    DINICOLANTONIO, J. The cardiometabolic consequences of replacing saturated fats with carbo

    hydrates or Ω-6 polyunsaturated fats: do the dietary guidelines have it wrong? Open Heart, 2014.

     

    Uma das vozes mais fortes na atualidade questiona quem não seria o vilão em nossa dieta.

    MALHOTRA, A. Saturated fat is not the major issue. BMJ, 2013.

     

    Estudo feito em Israel acompanhando milhares de indivíduos.

    GOLDBOURT, U. et al. Factors predictive of long-term coronary heart disease mortality among 10,059 male Israeli civil servants and municipal employees: a 23-year mortality follow-up in the Israeli Ischemic Heart Disease Study. Cardiology, 1993.

     

    Artigo questionando se as diretrizes sobre gordura saturada se baseiam em evidências ou crenças.

    HOENSELAAR, R. Saturated fat and cardiovascular disease: the discrepancy between the scientific literature and dietary advice. Nutrition, 2012.

     

    Revisão importante sobre estudos acerca gordura saturada, poli-insaturada e seus efeitos no risco cardíaco.

    MOZAFFARIAN, D. et al. Effects on coronary heart disease of increasing polyunsaturated fat in place of saturated fat: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. PLoS Med., 2010.

     

    Estudo comparando efetividade de diferentes intervenções dietéticas.

    HESSION, M. et al. Systematic review of randomized controlled trials of low-carbohydrate vs. low-fat/low-calorie diets in the management of obesity and its comorbidities. Obesity Reviews, 2009.

     

     

    Enviando...
    Top